Author Archives: enarg

Reconhecimento da trajetória do Dr. Héctor Barceló – La Rioja

29 nov , 2017,
enarg
No Comments

Autoridades do município de La Rioja participaram da colação de grau de 2.500 formandos no Instituto Universitario de Ciencias de la Salud – Fundación H. A. Barceló, e nessa oportunidade premiaram ao Dr. Héctor A. Barceló como fundador de uma associação destacada na província de La Rioja e visitante ilustre.

barcelo

O secretário Geral, Heber Sirerol e o secretário do governo de La Rioja, Ricardo Zalazar entregaram os decretos onde se reconhece a trajetória e compromisso profissional do excelente e prestigioso médico.
barcelo 2barcelo 1

A Universidade Nacional de Córdoba compartilhará cursos virtuais com Harvard e MIT

26 nov , 2017,
enarg
No Comments

A Universidade Nacional de Córdoba (UNC) é a primeira universidade argentina e a única pública da América Latina que se incorporará como sócio-colaborador em edX, uma organização sem fins lucrativos fundada em 2012 pela Universidade de Harvard e O Instituto Tecnológico de Massachusetts (MIT) para levar educação superior a cerca de 1000 milhões de pessoas em todo o mundo através de cursos virtuais.

unc

Universidade Nacional de Córdoba – ENARG ASSESSORIA

O primeiro curso que irá oferecer a UNC é sobre ondas gravitacionais e o ditará a pesquisadora cordobesa Gabriela Gonzáles, integrante da equipe Laser Interferometer Gravitational-Wave Observatory (LIGO) cujos arquitetos -Rainer Weiss, Kip Thorne y Barry Barish- receberam o Nobel de Física este ano.

Gabriela é formada pela Faculdade de Matemática, Astronomia, Física e Computação; a capacitação estará disponível na plataforma à partir do dia 27 de novembro e as inscrições já estão abertas. Se ditará por quatro semanas, dividida em módulos curtos, com aulas e consultas que colaborarão docentes designados pela cientista.

Para Gabriela é a primeira experiência em um curso dessa modalidade: “Aceitei porque eDX está aumentando sua audiência e oferta de cursos em espanhol, é um ótimo momento para fazer parte dessa iniciativa”.

A plataforma conta com 130 universidades e instituições de todo o mundo que colaboram com conteúdos. Por exemplo, estão as de Berkeley, Georgetown, Sorbona, Columbia, Oxford, de Tokio, de Hong Kong; o Banco Interamericano de Desenvolvimento, o Fundo Monetário Internacional, Microsoft, Amnesty Internacional, Google e Linux. Os cursos se oferecem em inglês, espanhol, mandarim e hindu.

Hugo Juri, reitor da UNC, explicou ao jornal LA NACION (Argentina) que a incorporação a plataforma se alinha com a filosofia da instituição que a educação é um bem social: “Nos anos 90 houve um debate, principalmente entre economistas, que consideraram que essa formação é um bem individual já que agrega capital a pessoa. Esse conceito ficou desatualizado com a quarta revolução tecnológica, hoje para qualquer trabalho se requer formação superior”.

“Não existe mais a ideia de que eram os profissionais davam seus conhecimentos a sociedade. A educação social é um bem social e levamos diretamente para a comunidade”. Nessa linha, afirmou que a UNC não só trabalha com eDX senão que já dita cursos através de seu campus virtual a sindicatos e populações do interior. Insistiu em que espera que logo se lance um campus a nível nacional.

Anant Agarwal, CEO da edX e professor do MIT, disse que a incorporação da UNC esta relacionada, com o seu prestígio acadêmico, e que no começo desse ano colocaram uma plataforma em espanhol para chegar ao segmento dos hispanofalantes. “Trabalhamos para aumentar o acesso a educação para todos os estudantes, em todas as partes”. Mencionou entre as instituições ibero-americanas que integram a plataforma Instituto Tecnológico de Monterrey, a Universidade Javeriana de Colômbia, a Autônoma de Madrid e a Carlos III de Madrid.

A UNC disponibilizará a edX outros cursos; um de medicina de precisão (relógio biológico, mapa genético); outro de agricultura, um sobre paleontologia, em sociedade com a Universidade Nacional de Rio Negro.

EdX conta com 13 milhões de estudantes; 74% de fora dos Estados Unidos; na América Latina cerca de 2 milhões (uns 100.000 na Argentina). 67% do total toma cursos focados na sua carreira profissional, ainda depois de terminar estudos acadêmicos formais (25 anos adiante); o 27% estão na idade universitária (19 a 24 anos) e o 6%, ensino médio.

“Atraímos a estudantes com diferentes objetivos, desde aqueles que mantém enfoque tradicional na sua área até quem se inscreve para poder interagir com estudantes de outras áreas e expandir assim sua maneira de entender o mundo”, disse Agarwal.

Horário de Verão

25 set , 2017,
enarg
No Comments

Horário de verão brasileiro em 2017/2018

  • Início – 0h de 15 de outubro (relógio são adiantados em 1 hora)
  • Fim – 0h de 18 de fevereiro (relógios são atrasados em 1 hora)

horário de verão na argentina

A Argentina não possui horário de verão, sendo, o fuso horário em todo o país o mesmo UTC/GMT -3 hora

fuso horário argentina

fuso horário argentina

 

À partir de hoje o Apostilamento da Haia será o substituto do carimbo do MRE

12 set , 2017,
enarg
No Comments

O Governo brasileiro depositou, no dia 02/12/2015, junto ao Ministério dos Negócios Estrangeiros dos Países Baixos, o instrumento de adesão do Brasil à Convenção sobre a Eliminação da Exigência de Legalização de Documentos Públicos Estrangeiros (“Convenção da Apostila”) por meio do Apostilamento da Haia.

apostila da haia

A adesão do Brasil à Convenção da Apostila garantirá significativa redução do tempo de processamento e dos custos para cidadãos e empresas, bem como economia de recursos públicos. Uma vez em vigor, a partir de agosto de 2016, tornará mais simples a utilização de documentos brasileiros no exterior e de documentos estrangeiros no Brasil, tais como certificados, procurações, certidões notariais, documentação escolar, entre outros.
apostilamento da haia
A adesão brasileira simplificará o trâmite internacional de documentos públicos entre o Brasil e os demais 108 países que já aplicam o instrumento. Suprimirá a necessidade de legalização consular (também conhecida por “consularização” ou “chancela consular”), a qual será substituída pela emissão da “Apostila da Haia”, que será anexada ao documento público pelas autoridades competentes do país no qual foi emitido, tornando-o válido em todos os demais Estados partes da Convenção.

modelo da apostila

Modelo da Apostila da Haia

Tendo em vista o interesse em que o serviço seja prestado da maneira mais ampla e facilitada possível, houve ampla convergência no sentido de que o sistema cartorial brasileiro, que já possui especialização na matéria, distribuição por todo território nacional e integração eletrônica, seja habilitado para emitir Apostilas em nome do Estado brasileiro.

Resumindo: Hoje (12/09/2017) é a data final para conseguir o carimbo no Ministério das Relações Exteriores. A única forma de legalizar a documentação exigida para estudar na Argentina é mediante ao Apostilamento da Haia, que pode ser feito em vários cartórios do Brasil.

Listas de cartórios autorizados: Cartórios autorizados
Lista de alguns cartórios que fazem o Apostilamento: Lista de cartórios
Saiba mais: Portal CNJ
Países membros: Lista

Cientistas argentinos criaram uma vacina contra Chagas

5 set , 2017,
enarg
No Comments

Cientistas Argentinos do CONICET e Universidade de Buenos Aires (UBA) desenvolveram uma molécula que combina com três antígenos do parasita, cujo o resultado em fase experimental foi animador. Detalhes do avanço poderia servir para combater uma enfermidade que ainda carece de cura.

barbeiro chagas

Calcula-se que na Argentina cerca de 1 milhão e meio de pessoas são afetadas pela enfermidade de Chagas(iStock)

O mal de Chagas é uma enfermidade causada por um parasito chamado Trypanosoma cruzi, que pode viver no sangue e tecidos de pessoas e animais, e no tubo digestivo de insetos como o barbeiro.
Como esse inseto se alimenta de sangue de pessoas e animais, ao picar transmite a enfermidade. Na Argentina, se estima que a quantidade de afetados alcança aproximadamente 1 milhão e meio de pessoas.

Atualmente não existe vacinas preventivas nem terapêuticas para a enfermidade. Em este contexto, um grupo de pesquisadores argentinos do CONICET e da Universidade de Buenos Aires desenvolveram uma vacina experimental, cujos os resultados preliminares são prometedores. A descoberta refere ao estudo dos efeitos de uma molécula desenhada que combina as características imunológicas mais importantes de três antígenos do parasita que provoca a enfermidade.

chagas ciclo

Especialistas del Instituto de Estudios de la Inmunidad Humoral (IDEHU) e o Instituto de Investigaciones en Microbiología y Parasitología Médica (IMPAM) dirigidos por Emilio Malchiodi, trabalham a mais de três décadas com esse assunto. As últimas novidades foram publicadas recentemente na revista NaturePJ-Vaccines.

“O tratamento agudo da enfermidade de Chagas consiste na administração de uma droga chamada Benznidazol. É importante quando o parasito está em circulação, porém dentro dos tecidos que é onde se aloja o Trypanosoma, não o elimina. Em quanto ingressa ao organismo, o parasito invade os macrófagos que são células muito agressivas do sistema imune, mais não são ativadas para matar-lo, então se aproveita disso e se reproduz”, disse Malchiodi. E agregou: “Com o tempo, se traslada a outras células menos agressivas porque no são do sistema imune, como as musculares. O que buscamos com as vacinas é melhorar a resposta imune que creio que não é insuficiente, senão equivocada”.

Malchiodi e sua equipe selecionaram três regiões de proteínas de T. cruzi que demonstraram previamente ser protegidas e por engenharia genética as misturaram para gerar uma molécula única, que chamaram Traspaína. Esta proteína foi provada em ratos com um produto de origem bacteriana que tem propriedades adyuvantes, chamado c-di-AMP, e obtiveram-se melhores resultados que com outros adyuvantes.

chagas

As formas de contágio mais comuns são através da picada do inseto ou a transmissão congênita (iStock)

“Na enfermidade de chagas é importante desenvolver vacinas terapêuticas que se aplicam as pessoas já infectadas. A vantagem de usar uma quimera no lugar de três antígenos separados para uma vacina é principalmente racional e econômica, já que reduz os custos de produção a um terço”, explicou Malchiodi, que expressou confiante: “Temos muita esperança no desenvolvimento porque temos trabalhado muitas alternativas e a essa é a melhor que conseguimos”.

O barbeiro pode encontrar-se em casas, galinheiros, currais e depósitos. Durante o dia se esconde nos buracos das paredes, teto, embaixo de colchões, entre coisas amontoadas ou penduradas na parede. De noite saem para se alimentar. As formas mais frequentes de transmissão são pela picada do barbeiro ou por via congênita (mãe infecta ao filho durante a gravidez).

USP, UBA e cidade de Buenos Aires se unem para fortalecer intercâmbio

4 set , 2017,
enarg
No Comments

O objetivo é intensificar o intercâmbio de estudantes da USP na Universidad de Buenos Aires (UBA)

A USP, a Universidade de Buenos Aires (UBA) e o Governo da Cidade Autônoma de Buenos Aires, na Argentina, assinaram uma carta de intenções com o objetivo de colaborar no âmbito do programa “Estude em Buenos Aires”. O documento foi firmado no Consulado Geral da Argentina em São Paulo, no dia 25 de agosto.

O programa, desenvolvido pelo Governo argentino, tem o propósito de potencializar a experiência dos estudantes internacionais em Buenos Aires e promover o desenvolvimento de intercâmbios estudantis com universidades argentinas. A ideia é que, nos próximos meses, os esforços se concentrem na implementação de um programa específico entre a USP e a UBA.

Patricio-Conejeto-Ortiz_Marcelo-Knobel_Marco-A-Zago_Horacio-Rodríguez-Larreta_Carlos-Alfredo-Magariños-foto-Marcos-Santos-USP-Imagens_U0Y5642-768x512

O documento foi assinado pelo reitor Marco Antonio Zago; pelo coordenador-geral de Relações Internacionais da UBA, Patricio Conejero Ortiz; e pelo chefe de Governo da Cidade Autônoma de Buenos Aires, Horacio Rodríguez Larreta. “Esse acordo é um marco institucional, pois acompanha a crescente interação acadêmica de estudantes na cidade de Buenos Aires. Nós sabemos que o intercâmbio universitário gera um vínculo para toda a vida, por isso estamos trabalhando para propiciar uma cidade que receba melhor os estudantes estrangeiros”, afirmou Larreta.

Na ocasião, também foi firmado um acordo semelhante entre a cidade de Buenos Aires, a UBA e a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), representada pelo seu reitor Marcelo Knobel.

Acompanharam a reunião o presidente da Agência USP de Cooperação Acadêmica Nacional e Internacional (Aucani), Raul Machado Neto; o embaixador da Argentina no Brasil, Carlos Magariños; e o cônsul-geral da Argentina em São Paulo, Luis Castillo.

Fonte

A UNLaR premiará Dilma Rousseff

27 dez , 2016,
enarg
No Comments

dilma-web

El rector de la Universidad Nacional de La Rioja, Fabián Calderón, entregará un reconocimiento institucional a la Presidenta electa de Brasil. Será el próximo jueves, en la Universidad Metropolitana para la Educación y el Trabajo, en la Ciudad de Buenos Aires.

El próximo 22 de diciembre, Dilma Rousseff estará en la Ciudad Autónoma de Buenos Aires, donde brindará una charla magistral sobre democracia, derechos y justicia social.

El evento académico es organizado por la Universidad  Metropolitana para la Educación y el Trabajo (UMET), junto a la Universidad Nacional “General Sarmiento” (UNGS), y el Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales (CLACSO).

En la oportunidad, el rector de la Universidad Nacional de La Rioja, Fabián Calderón, entregará un “Reconocimiento Institucional” a la Presidenta electa de la República de Brasil (2011-2016).

De acuerdo a lo manifestado en la Resolución Rectoral N° 1385, la UNLaR considera entregar tal distinción en respuesta a “su prolífica y trascendente vida política, participó en la “Resistencia” contra la dictadura en los años 60, fue presa política en la década del 70, fue integrante del Partido Democrático Laborista y del Partido de los Trabajadores, Secretaria de Energía entre 1991 y 1995, Ministra de Energía 2003-2005, nombrada ministra de la Casa Civil de Brasil, convirtiéndose en octubre de 2010 en presidenta electa de la República del Brasil”.

Además -continúa la disposición académica-, “ha sido una activa promotora de los derechos humanos procurando cambiar las condiciones institucionales que favorezcan una vida más habitable para todas y todos, en pos del reconocimiento de los derechos fundamentales de los hombres. Promover el progreso social y elevar el nivel de vida dentro de un concepto amplio de libertad, demostrando así que la función pública puede ser diferente si se la considera como un lugar de servicio, de empatía y de vínculo próximo, en particular con quienes menos poder poseen”.

El texto destaca también que “es relevante en nuestra universidad el marcado ejercicio de políticas públicas en derechos humanos”, las que en la práctica se desarrollan en diversas acciones; al igual que “la perspectiva de género y la promoción de la lucha en contra de todo acto de discriminación y violencia contra la mujer” que encara esta Casa de Altos Estudios.

 

Fonte: https://www.unlar.edu.ar/index.php/in/90-medios/noticias/507-la-unlar-distinguira-a-dilma-rousseff

Alunos de medicina no Brasil terão avaliação do MEC a cada dois anos

16 ago , 2016,
enarg
No Comments

Aluno reprovado em novo exame não fará residência médica, diz MEC

MEC prevê realizar em agosto o 1º exame nacional dos alunos de medicina.
No 2º e 4º ano, nota será monitorada. No 6º, reprovação trava diploma.

O Ministério da Educação (MEC) anunciou nesta sexta-feira (1º) que prevê realizar em agosto o primeiro exame nacional dos alunos de medicina no Brasil. O objetivo é realizar o monitoramento progressivo da qualidade desse ensino no país. A cada dois anos, graduandos do segundo, quarto e sexto anos serão obrigados a fazer a prova, batizada de Avaliação Nacional Seriada dos Estudantes de Medicina (Anasem). A ideia é que o exame ocorra semestralmente.

A avaliação nacional a cada dois anos já havia sido anunciada em agosto de 2015 pelo então ministro Renato Janine Ribeiro. A criação do exame foi proposta pelo Conselho Nacional de Educação (CNE) em 2014, como parte das alterações nas diretrizes curriculares de medicina.

Segundo o ministro Alozio Mercadante, as provas serão exigidas como critério para que o aluno possa se formar e será “condição essencial para entrada na residência médica”. “A cada dois anos vamos ter avaliação do progresso do aluno e das instituições”, disse. “Será um exame condicionante à sua formação, uma avaliação muito mais completa.”

De acordo com o ministro Aloizio Mercadante, no segundo e quarto ano, a prova será feita em modalidade semelhante a dos treineiros, na qual as notas serão apenas acompanhadas e servirão para o aluno verificar o próprio desempenho.

A última prova terá caráter eliminatório: o estudante que tiver resultado abaixo da nota de corte terá de refazer a prova por ser um exame criado para avaliar “condições mínimas e essenciais para se formar”. A reprovação vai significar veto ao diploma e impossibilidade de entrada na residência médica.

“A definição da nota de corte é feita por um painel de especialistas a cada prova”, disse o representante da subcomissão do Revalida, Henry Campos. “Durante dois dias eles se debruçam tanto sobre a prova escrita quanto sobre a prova de avaliação de habilidades, estabelecendo qual seria o percentual de acerto esperado para um aluno considerado médio.”

Estudantes que ingressaram na universidade em 2015 serão os primeiros a realizar o exame. O número corresponde a cerca de 20 mil estudantes.

Revalida
A Anasem será feita nos “mesmos padrões” aplicados no Revalida — obrigatório para quem cursou medicina fora do Brasil, inclusive brasileiros, e deseja atuar como médico no país.

O exame foi criado em 2011 com o objetivo de unificar o processo de revalidação em consonância com as diretrizes curriculares nacionais dos cursos de medicina. Antes do Revalida, cada instituição de ensino superior estabelecia os processos de análise seguindo a legislação.

Enquanto o médico não for aprovado e não obtiver a revalidação do diploma pelas instituições do ensino público, ele fica impedido de atuar no país. O índice de aprovação na prova, em 2014, foi de mais de 30%. Se um médico for reprovado no Revalida, ele pode se inscrever para fazer o exame do ano seguinte.

Em 2015, 1.683 médicos foram aprovados no revalida — o que representa 50,3% dos inscritos. Ao todo, 54,7% desse total é de brasileiros que se formaram em medicina em outro país.

Contingenciamento
Na semana passada, o Ministério do Planejamento anunciou bloqueio extra de R$ 21,2 bilhões em gastos no orçamento. Nesta semana, o governo anunciou que o Ministério da Educação teve limite de empenho para gastos discricionários (excluindo o PAC e as despesas obrigatórias) diminuído em R$ 4,27 bilhões para todo este ano.

Segundo Mercadante, não se trata de corte, e sim de um “contingenciamento”. “Neste momento de queda de receita pública, é fundamental que o Congresso se debruce sobre educação e busque reverter esse contingenciamento. Se não tivermos nova fonte de receita, o que resta é o corte. E o corte prejudica a expansão e a qualidade da educação.”

Em nota divulgada nesta sexta, o MEC pede que parlamentares tomem “medidas urgentes e corajosas em defesa do financiamento da Educação”. “Temos a convicção de que neste momento delicado da economia e da política nacional, a educação tem que ser protegida para continuar avançando”. A pasta também garantiu fazer “mais com menos” e que analisa o cenário econômico atual.

Los títulos universitarios podrán tener validez europea

22 maio , 2016,
enarg
No Comments

La Argentina está negociando con España un nuevo convenio de reconocimiento mutuo de los títulos emitidos por cada país. El acuerdo, cuya aprobación se espera para después de las elecciones españolas, permitirá que los títulos universitarios argentinos sean válidos en el país ibérico. Pero además, quienes validen su diploma en España tendrán un título reconocido en toda la Unión Europea.

En rigor, los dos países están negociando cuatro convenios bilaterales: uno de cooperación cultural, uno de cooperación educativa, uno de homologación de los títulos de primaria y secundaria, y otro de homologación de los títulos universitarios. “Los primeros tres ya están cerrados, mientras que en el último solo resta acordar los términos de uno de los artículos”, anticipó a Clarín Francisco Moldes Fontán, consejero de Educación de la Embajada de España en Argentina.

El acuerdo reemplazará al vigente actualmente, que fue aprobado en 1971 (con modificaciones en 2001). Desde la Consejería de Educación estimaron que podría terminar de aprobarse recién después de las elecciones españolas, previstas para el 26 de junio. España está renegociando sus convenios educativos con varios países sudamericanos: el de Chile, por ejemplo, ya está a punto de firmarse.

“La intención de ambas partes es que los cuatros convenios se puedan firmar a la mayor brevedad posible”, señaló Moldes Fontán. Clarín consultó al Ministerio de Educación argentino por este tema, pero dijeron no tener “información para aportar”.

La novedad más relevante es que, tras los acuerdos universitarios de Bolonia –vigentes desde 2010–, los títulos españoles tienen validez en toda la Unión Europea. Por lo tanto, los argentinos que convaliden sus credenciales educativas en España tendrán la puerta abierta para ejercer su profesión en el resto de Europa.

Según datos de la Embajada de España, quienes más solicitan la homologación desde Argentina son los médicos: se validaron 2015 títulos en los últimos 5 años, lo que representa el 60% del total.

Este interés podría explicarse por las enormes diferencias salariales: según datos de la OCDE, en España un médico principiante cobra unos 2500 euros por mes (unos 40.000 pesos). En Argentina, en cambio, el sueldo inicial promedio es de 13.000 pesos –3 veces menos que en España–, “con grandes disparidades entre las provincias”, explicó Jorge Yabkowski, titular del gremio FESPROSA. Según Yabkowski, el sueldo actual en Jujuy es de $7.500, mientras que en las provincias que ya cerraron sus paritarias trepa a 18.000.

UnLar – Informaron sobre programas de intercambio académico con Alemania

maio , 2016,
enarg
No Comments

El referente del Servicio Alemán de Intercambio Académico (DAAD),  Urs Urban, informó sobre las posibilidades de estudiar e investigar en el país europeo, por medio de un programa de becas.

daad-web

Promovido desde la Universidad Nacional de La Rioja -a través de su Subsecretaría de Relaciones Internacionales-, se desarrolló una charla Informativa sobre el Servicio Alemán de Intercambio Académico.

La conferencia estuvo a cargo del representante del DAAD, Urs Urban, quien presentó el programa de becas para estudiantes e investigadores interesados en profesionalizarse en el país teutón. El disertante explicó que el acceso al beneficio es simple y que se realiza a través del portal digital www.daad.org.ar. “Se gestiona fácilmente y depende del tipo de becas que interesa al estudiante o al investigador. Por ejemplo, tenemos becas de cursos de invierno para estudiantes, becas de master europeo, becas a partir de posgrado para doctorandos, para investigadores, para docentes”, entre otras oportunidades.

Además, el servicio de intercambio propone “programas importantes cofinanciados con el Ministerio de Educación de Argentina, como becas para jóvenes ingenieros, y maestrías para todos los niveles”, agregó.

Actualmente, “alrededor de 600 estudiantes, docentes e investigadores argentinos”, se radican en Alemania para su capacitación, comentó.

Urban recordó que en la Ciudad Autónoma de Buenos Aires funciona la Oficina de Información del DAAD, al igual que en sus sedes de Córdoba y Tucumán.

El Servicio Alemán de Intercambio Académico es la organización sin fines de lucro, promotora del intercambio internacional de estudiantes y científicos más grande del mundo. Desde su fundación en 1925, el DAAD ha prestado su apoyo a casi 1,5 millones de académicos, entre universidades  tanto en Alemania como en el extranjero.

Además el DAAD cuenta con dos Cátedras: La Cátedra Walter Gropius de Arquitectura y Estudios Urbanos en la Universidad Torcuato Di Tella; y  la Cátedra libre de Derecho en la Universidad de Buenos Aires.

Open chat
1
Olá futuro cliente, tudo bem? Aperte o botão enviar > e converse diretamente conosco!
Powered by